NO AR
AGORA




  • 30/03/17 | 10:57:41
  • Tite na Seleção: a mudança
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto

Nove jogos, nove vitórias (uma em amistoso e as outras oito pelas Eliminatórias), nem o mais otimista dos torcedores, esperava esse desempenho de Tite a frente da seleção brasileira de futebol. Aí surge a pergunta que não quer calar: O que mudou na seleção?

Mesmo de fora, observa-se que o ambiente é outro, o astral é outro. Mérito total da comissão técnica, que soube implantar sua filosofia de trabalho, mesmo com o pouco tempo para treinamentos (costumeira 'desculpa' dada pelos treinadores anteriores). Entre as principais virtudes da metodologia de trabalho de Tite destaco: o diálogo com o grupo de jogadores; a capacidade de extrair o melhor de cada atleta, em virtude da confiança repassada; a convicção de escalar os melhores de cada posição; a compactação do time, bem como a organização do sistema defensivo. Pra mim, essas são as peças chaves nesta mudança de atitude e retomada da seleção canarinho. Até mesmo, quando insiste em algum jogador (caso de Paulinho), consegue resultados excelentes: outro mérito de Tite.

Tite assumiu o comando da seleção, com o Brasil em sexto lugar nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, com 9 pontos e fora até da Repescagem. Atualmente tem 33 e está em primeiro. Um fato que chama destaque, é que somente com os 24 conquistados por ele, já teria a ponta, igualado em número pontos com a Colômbia mas com vantagem nos critérios de desempate. Números que comprovam o excelente trabalho realizado até aqui.

Tite (atualmente com 55 anos) resgatou o futebol bonito de ser ver, e isso atraiu novamente o gosto e admiração por parte do torcedor, e isso também precisa ser ressaltado. Outra situação que gostei é o rodízio da braçadeira de capitão (pelo fator motivacional).

Por favor, imprensa e torcedores, não sejamos hipócritas, de questionar as derrotas que com certeza aparecerão. Não sejamos hipócritas de questionar se a conquista do hexa não vir. Tite é o cara e ponto. Precisa ficar tempo a frente de nossa seleção, seguindo o exemplo de outras seleções e clubes do exterior. O trabalho a longo prazo, geralmente dá bons resultados.

Parabéns Tite. Parabéns Brasil! Somos a 1ª seleção classificada para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

Pra finalizar, um comentário do próprio Tite, discordando de uma frase comum no meio esportivo. Concordo e assino embaixo com a frase dele: "Subir e manter-se no topo é difícil igual".

"Existem alguns clichês de que discordo. Dizem que é mais difícil se manter do que chegar ao topo. É difícil igual, cara. Aí, falam de zona de conforto. O que é zona de conforto e zona de confiança? A diferença é tênue. A gente não pode ficar com medo de ser feliz. Quero que a equipe tenha coragem de ser feliz. Se você está em um momento de confiança, agarre-se a isso. Se estiver fazendo coisa errada, aí, sim, vou cobrar",

Colunista