NO AR
AGORA




Esporte 11/12/17 | 09:09:29
Fonte/Autor: Gilian Olivo - Foto: Gilian Olivo
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Juventude bicampeão de Videira, ouça o gol do título
  • Transilva reclamou da arbitragem que não deu um pênalti ao fim da primeira etapa

Após aproximadamente 70 dias de disputas, encerrou no domingo, 10 de dezembro o Campeonato Municipal de Futebol – Taça Odenir Oséas Seemann (o Zangão). Os jogos finais aconteceram no Estádio Municipal Leoni, com a presença de um bom público. Zangão, o homenageado deste ano, foi goleiro da Perdigão, na conquista do título estadual de 1966. A competição deste ano contou com a participação de 24 equipes.

No primeiro jogo da tarde, a equipe dos Intocáveis venceu o Novo Horizonte e ficou com a 3ª colocação do certame.

No jogo de fundo, com transmissão da Rádio Vitória AM 1320, um jogo muito equilibrado entre Juventude/Quiosque Testolin e Transilva. E como toda grande final, não poderia faltar emoção e polêmica.

A primeira chance da partida, saiu apenas aos 20 minutos de jogo, quando o atacante Bettú do Juventude, acabou falhando na hora da finalização. Na sequência, aos 22, nova chance para o Juventude: em um lindo cruzamento de Gima, Kikinho antecipou a zaga e acabou finalizando para fora da meta defendida pelo goleiro Grison.

A partir daí o Transilva cresceu em produção na partida. Aos 24 minutos, após passe de Bide, o volante Duda acabou finalizando cruzado para fora. Aos 30, Malásia em cobrança de falta, obrigou o goleiro Careca, espalmar para escanteio. Aos 40 minutos, um lance que gerou muito protesto por parte da equipe do Transilva, Bettú derrubou Bide dentro na área, e o pênalti não foi marcado pela arbitragem da partida.

Na segunda etapa, o jogo diminui em intensidade, devido ao cansaço e isso consequentemente diminui também as chances reais de gol. Na melhor oportunidade do Transilva, o zagueiro Diego, levou a melhor para cima de dois marcadores e acabou chutando para fora. Na reta final de jogo, o Juventude se arriscou no ataque, em busca de seu gol. Aos 30 minutos, o lateral Marcelo do Transilva, quase marcou contra. E na melhor chance do jogo, já aos 38, Gima chutou na trave. A decisão se encaminhava para os pênaltis, porém no apagar das luzes, já aos 48’30 da etapa complementar (arbitragem assinalou 4 minutos de acréscimo). Falta pro Juventude; Gima lança a bola na área e o zagueiro Nino, sobe no segundo andar, para testar para os fundo das redes. Gol que deu o título de forma invicta para o Juventude, da comunidade de Rio Tigre.