NO AR
AGORA




Política 13/09/17 | 12:30:59
Fonte/Autor: Josiane Ugolini - Endrio Francescon - Jornalismo Rádio Vitória - Foto: Divulgação
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • PSD pede cassação de vereador Jorge Antônio Lopes
  • Para Borga, Jorge terá que responder pelos atos; "não vão me amordaçar", diz Jorge

Uma polêmica tem tomado conta da Câmara de Vereadores de Videira. Há alguns dias, aportou na casa, o Projeto de Lei 064/2017, que concede um terreno, no Distrito Industrial da Campina Bela para a empresa Borga Embalagens. O projeto foi aprovado, nos dois turnos, com oito votos favoráveis e dois contrários.

Ao explicar os motivos que o levaram a votar contra, o vereador Jorge Antônio Lopes Oliveira afirmou que com a aprovação estariam beneficiando familiares do prefeito. Os legisladores da base aliada do prefeito descordaram e destacaram que o parentesco existente é de quarto grau, o que não caracterizaria nepotismo.

Na última sexta-feira (8), o executivo municipal encaminhou para a Câmara de Vereadores um processo pedindo a cassação de Jorginho por quebra de decoro parlamentar. Já na tarde da segunda-feira (12), em reunião, os vereadores optaram por tirar tal projeto da pauta. Contudo, a situação ainda não está definida.

Borga defende que Jorginho foi leviano e agiu por revanchismo político e agora vai ter que provar o que falou.

O vereador afirma que não cometeu quebra de decoro parlamentar e que não vai ser "amordaçado" por ninguém, pois tem o objetivo de fiscalizar as ações da prefeitura municipal.

Dorival Carlos Borga ressaltou ainda que não está perseguindo ninguém e que Jorge usou os privilégios da amizade do atual prefeito durante o tempo que ele não esteve a frente do poder executivo.